Atualidade

Apague os seus emails. Eles estão a poluir o planeta

Cada email guardado produz dez gramas de dióxido de carbono por ano.

Reciclamos tudo, fugimos dos plásticos e evitamos imprimir tudo o que é email que chega à nossa caixa do correio. Se tudo isto é ótimo para o ambiente, saiba que mesmo que não passe para o papel todas as mensagens e documentos eletrónicos, está igualmente a prejudicar o planeta. Uma simples mensagem eletrónica pode ter um impacto bem maior do que imagina.

As caixas de email também devem ser limpas e organizadas, uma tarefa que grande parte das pessoas não faz. Há sempre alguma mensagem por ler, enviados que ficam eternamente guardados, spam que não é limpo ou newsletters que já nem queremos receber. Fique a saber que cada um desses emails que temos guardados produz dez gramas de CO2 por ano.

O valor parece muito pequeno, é verdade, mas multiplique-o pelo número de mensagens que tem na sua caixa e faça contas ao total. De acordo com o diário espanhol “El País”, são enviados por dia 293 mil milhões de emails em todo o mundo. Destes, 90% são spam e 60% das newsletters que são enviadas não chegam a ser abertas.

Portanto, apagar emails e esvaziar a caixa de correio pode ajudar a evitar a emissão de quilos de CO2 ao longo de um ano. O mesmo é válido para as publicações mais antigas que fizemos nas redes sociais e nas fotos, mensagens ou gif que fomos guardando no computador.

Todas estas informações que guardamos, apesar de virtuais, estão alojadas em espaços físicos que, consequentemente, quanto mais ocupados estiverem, mais irão poluir. Nestes locais, 40% da energia consumida serve para arrefecer os materiais, que atingem altas temperaturas por estarem em funcionamento contínuo.

Cabe a cada um fazer a sua parte da limpeza digital. Para isso pode fazê-lo manualmente ou recorrer a aplicações que ajudam nessa tarefa. Uma outra solução para guardar documentos importantes é passá-los a papel. Sim, tem ouvido o contrário até agora, a questão é que, a longo prazo, o papel não contaminará tanto o ambiente como os centros de dados.

Outros artigos de Atualidade

Últimos artigos da 4MEN