Atualidade

Estas são as cinco startups mais “hot” de Portugal

A escolha é do conceituado site de tecnologia "The Next Web" que coloca as empresas nacionais no top 100 europeu.

Do Porto a Lisboa, as duas cidades têm sido diversas vezes apontadas como alguns dos melhores destinos turísticos do mundo. E os títulos atraem cada vez mais curiosos e apreciadores da gastronomia, praias e clima temperado. Agora, as startups nacionais também estão a ter o seu momento de fama.

O conceituado site de tecnologia, que dá também o nome a uma conferência anual de startups em Amesterdão (Holanda), escolheu as cinco principais startups em 20 países europeus. A publicação uniu-se a um consórcio de investidores, empreendedores e especialistas, espalhados pela Europa, para identificarem as cinco startups ou scale ups – empresas já consolidadas no mercado com um crescimento exponencial do seu lucro – mais interessantes no nosso País.

Essas empresas foram selecionadas para participar na Tech5, a 8 de maio, bem como na Conferência TNW, que decorre na capital holandesa. Segundo o meio de comunicação, Portugal soube responder à crise e, em vez de mergulhar numa recessão mais profunda, o espírito empreendedor lançou o País para uma frente tecnológica, graças a benefícios oferecidos pelo governo – 200 milhões de euros a todas as startups sediadas em Portugal e o voucher StartUP que dá a 400 empreendedores uma subvenção a cada ano para desenvolver a sua ideia.

O potencial dos portugueses já foi captado a nível internacional e há outras empresas a abrirem ou a terem um escritório secundário por cá. Uma das maiores transferências sublinhadas pela publicação é a mudança anual da Web Summit de Dublin para Lisboa, em 2016.

A primeira startup a ser destacada foi a HUUB, uma empresa que opera na área da logística da moda. Tem mais de 50 marcas como clientes. Foi criada em 2015 e registou um crescimento de 110% em receitas e pretendem aumentar para 400% só este ano. Metade da quota de mercado da empresa já é europeia.

Segue-se a Zaask, criada em 2012 como uma plataforma de oferta e procura de serviços para diferentes tarefas ou biscates. Pode ser um professor de língua à procura de alguém que precise de explicações ou alguém à procura de um designer experiente ou de um jardineiro.

A Landing.jobs, uma plataforma que ajuda ao recrutamento na área da tecnologia, foi outra das eleitas. Não é uma agência de emprego virtual, apenas promove ofertas de trabalho, permitindo que diferentes empresas de Recursos Humanos encontrem as candidaturas perfeitas para determinada vaga.

Combinar tradução automática com tradução humana é o que faz a plataforma criada pela Unbabel. Oferece 28 combinações de idiomas para traduções, para além de um serviço de legendagem e tradução de vídeos. Cobra segundo o tipo conteúdo e volume de trabalho. A empresa foi reconhecida como uma das mais jovens em crescimento.

Já a YouClap é uma startup que tem uma aplicação móvel que permite enviar desafios aos amigos. Os criadores de conteúdos, bem como os participantes, têm acessos a ferramentas para que possam interagir uns com os outros. Uma semana após ser lançada, em maio de 2018, a empresa alcançou o primeiro lugar na lista “Trending Social Apps” da Google Play Store e ficou em quarto lugar na App Store. No final de 2018, já tinha 20 mil utilizadores.

Algumas das novas empresas de tecnologia selecionadas na Europa pela “The Next Web” são da Bélgica, França, Espanha, Itália, Holanda, Irlanda, Noruega, Dinamarca, Suécia, Estónia, Finlândia, Polónia, Reino Unido, Israel, Alemanha, Áustria, Suíça e Hungria.