Atualidade

Barbas longas escondem mais germes do que o pelo dos cães

Uma equipa de cientistas suíços analisou as duas e chegou a uma conclusão pouco animadora para os homens barbudos.

Seja um hipster ou não, a verdade é que as barbas vieram para ficar. Se tornam os homens mais atraentes, também devem ser bem cuidadas. Esta não é uma dica de estilo, é um aviso de saúde: isto porque um estudo científico revelou que as barbas podem conter mais bactérias e germes nocivos para a saúde do que o pelo dos cães.

A revelação é feita pela Hirslanden Clinic. Para a investigação foram analisadas amostras de 18 homens, entre 18 e 76 anos, e de 30 cães. Inicialmente, o estudo tinha como objetivo perceber se os seres humanos podiam contrair doenças transmitidas por cães. Os cientistas utilizaram um scanner de ressonância magnética para verificar a contaminação de bactérias entre animais e humanos, e outros dois para analisar apenas as barbas.

Concluíram que sete dos homens tinham tantas bactérias que poderiam ficar doentes. Com base nessas descobertas, “os cães podem ser considerados mais limpos quando comparados com barbas humanas”, disse Andreas Gutzeit, líder do estudo, em entrevista à “BBC“.

O investigador explicou que nem todos os micróbios encontrados são prejudiciais, mas alguns podem causar sérias doenças e as barbas dos sete homens testaram positivo para micróbios que são prejudiciais à saúde humana.

“Considero que é possível encontrar todo tipo de coisas desagradáveis quando se passa um cotonete pelo cabelo ou pelas mãos das pessoas para testar”, sustentou Keith Flett, fundador da Beard Liberation Front, ao “Daily Mail“. “Não acredito que barbas sejam anti-higiénicas”, disse ainda.

Outro dos resultados do estudo é que o pelo dos cães “não representa um risco para os humanos”, lê-se nas conclusões do estudo, cujoa versão abstrata pode ser encontrado no National Center for Biotechnology Information.

Outros artigos de Atualidade

Últimos artigos da 4MEN