Barba e camisa

Esqueça as gravatas. A Weev quer pôr todos os homens a usar laços

A nova marca portuguesa cria laços originais, coloridos e cheios de padrões para dar mais pinta aos homens. E são 100% portugueses.

Homens, esqueçam as gravatas. A moda agora são os laços: grandes, mais pequenos, coloridos, floridos ou em tons básicos. E se está a pensar comprar um, pode parar já por aqui. É que Diana Nunes, arquitecta de trinta e seis anos, decidiu criar uma marca que vende apenas laços artesanais e 100% portugueses, a Weev.

A ideia de se dedicar a este acessório começou a surgir na cabeça de Diana Nunes há três anos, enquanto planeava o seu casamento. “Estava a ajudar o meu [futuro] marido a escolher um acessório para a cerimónia, um laço, e fiquei espantada com a falta de oferta que havia no mercado. Só encontrava laços de grandes marcas, tudo massificado e com padrões muito vistos. Nada ia verdadeiramente ao encontro daquilo que procurávamos”.

Diana acabou por guardar a ideia à espera de uma oportunidade que chegaria mais tarde, quando começou a sentir-se desmotivada de trabalhar na sua área de formação original, a arquitectura. “A crise pode ter contribuído para me ir desanimando pouco a pouco, e também foi crescendo uma vontade de trabalhar numa coisa minha. Já não sentia aquele prazer em fazer arquitetura e sempre tive esta paixão pela moda. Já quando era mais nova passava a vida a desenhar roupas, gostava de saber mais sobre os tecidos. Acho que este bichinho já cá estava há muito tempo”, diz Diana.

Mas como se muda de vida de forma tão determinada? “Decidi arriscar. Não fazer uma coisa que se ama não faz sentido para mim”, esclarece.

Foi assim que em finais de 2017 nasceu a Weev, repleta destes acessórios masculinos que são cada vez mais uma opção à frente das próprias gravatas. Os laços da Weev são artesanais, com padrões fora do vulgar e cada uma destas peças custa 30€. Neste momento, o catálogo conta com doze modelos diferentes, cada um com o seu próprio feitio: há em tamanho clássico, slim e diamante. Para já, Diana quer focar-se apenas nos laços, mas no futuro pensa já no investimento em complementos para bolsos de casacos e coletes.

A loja existe exclusivamente online e só aí é que as encomendas podem ser feitas. Quanto a espaços físicos, só mais daqui “a algum tempo”.

Outros artigos de Barba e camisa

Últimos artigos da 4MEN