Bola

O dia em que o Chelsea disse não a Mbappé

Ao fim de uma semana de testes, os ingleses não quiseram contratar o francês porque ele “não sabia defender”. A mãe disse que se não fizessem, teriam que pagar 50 milhões dentro de cinco anos. Ela não se enganou.

Mbappé não é só mais um jovem promissor do futebol mundial. Desde que começou a brilhar no Mónaco e, principalmente desde que foi uma das estrelas da França campeã do mundo, que é apontado como o sucessor de Ronaldo e Messi no pódio dos melhores do mundo. Enquanto todos admiram a escalada triunfante do francês, há um clube que olha para este filme com tristeza e amargura. Aos 13 anos, Mbappé esteve à experiência no Chelsea. Os ingleses disseram não.

As revelações foram feitas por Serge Daniel Boga, olheiro do Chelsea até 2014, que contou toda a história numa entrevista ao site de desporto “Goal”. O Chelsea foi o primeiro clube a espreitar as habilidades do miúdo, bem antes do Real Madrid ter essa hipótese. Boga ficou a conhecer Mbappé através de um amigo que trabalhava para a Nike e que lhe falou de um talento que jogava no Bondy, um pequeno clube dos subúrbios de Paris. “Tens mesmo que o ir ver, este rapaz é qualquer coisa”, contou-lhe o amigo Denis Chantron. Assim fez.

Mbappé com 13 anos, durante a curta experiência no Chelsea

Mbappé viajou com a mãe para Londres e o jovem de 13 anos passou uma semana a treinar com os ingleses.

“Quando ele recebia a bola era incrível, mas sem bola não fazia grande coisa”, explica Boga. “Ele fez um treino e não nos convenceu porque não oferecia o suficiente em termos defensivos. Então pedi à mãe se o podia trazer para um segundo treino e ela disse que não”.

A resposta da mãe de Mbappé foi dada em francês e em tom de ameaça: “Ela disse-me ‘Ouve, o meu menino não volta. Se eles o querem têm que contratá-lo já ou dentro de cinco anos vão quere-lo e terão que pagar 50 milhões'”.

“Ele era muito habilidoso, mas em Inglaterra eles gostam de ver os jogadores a correrem para trás e a trabalharem muito. À época, ele não era um grande trabalhador. Quando tinha a bola, era inacreditável, mas sem bola ele não trabalhava”, concluiu Boga, que acredita que Mbappé “é o tipo de jogador que todos querem ver, tem tudo o que é exigido a um jogador moderno e para continuar a ser um dos melhores jogadores da próxima década”.

Outros artigos de Bola

Últimos artigos da 4MEN