Bola

Portugal e Espanha: o dérbi de duas equipas em tumulto

Trocas de treinador de última hora, jogadores sem clube e em litígio, os problemas não param nas duas equipas que se preparam para um dos jogos mais fortes da primeira ronda, esta sexta-feira, na Rússia.

O jogo inaugural do Mundial está marcado para esta quinta-feira, 14 de junho, entre a seleção anfitriã, a Rússia, e a Arábia Saudita. Só que os olhos do mundo estão postos no jogo do dia seguinte, o clássico ibérico entre Espanha e Portugal, as duas equipas que chegam ao primeiro encontro da competição num estado tumultuoso.

Num escândalo nunca antes visto a este nível de competições entre seleções, a equipa espanhola ficou sem selecionador a dois dias do primeiro jogo. Foi o próprio presidente da Real Federação Espanhola que, em conferência de imprensa na manhã desta quarta-feira, anunciou que Julen Lopetegui estava imediatamente dispensado das funções de treinador.

O ex-treinador do FC Porto assumiu o comando da seleção espanhola em 2016 e foi o protagonista de uma qualificação brilhante. Em dez jogos, apenas empatou um. O cenário era perfeito e Espanha chegava à Rússia como uma das mais fortes candidatas à vitória. De tal forma que a Federação anunciou a renovação do contrato por de Lopetegui a 22 de maio. Três semanas depois, tudo se desmoronou.

Esta terça-feira, Luis Rubiales, presidente da RFEF, recebeu uma chamada a informá-lo de que o Real Madrid iria acionar a cláusula de dois milhões de euros que libertaria o treinador que, terminado o Mundial, se tornaria no próximo técnico do Real Madrid. O comunicado oficial seria tornado público dentro de cinco minutos. Rubiales terá pedido aos responsáveis do Real que não o fizessem. O pedido não foi aceite e a notícia que chocou adeptos, dirigentes e jogadores espalhou-se por todo o mundo.

Menos de um dia depois, os jornalistas enchiam na sala de imprensa do centro de estágio em Krasnodar para uma conferência de última hora. Os rumores indiciavam a possibilidade de Rubiales demitir imediatamente o treinador. Minutos antes do início da conferência, outra notícia: os jogadores, com Sérgio Ramos na liderança – ele que seria dos únicos a ter conhecimento da contratação do Real –, teriam abordado o presidente da RFEF para o demover dessa intenção. Segundo a “MARCA”, terá havido mesmo um motim para defender a permanência de Lopetegui. Mas mesmo entre os jogadores surgiram divergências de opiniões. O certo é que Rubiales já tinha decidido o que iria fazer.

“Agradecemos a Julen tudo o que fez, porque é um dos grandes responsáveis de estarmos na Rússia, mas vemo-nos obrigados a destituí-lo. Temos uma mensagem clara para todos os trabalhadores da Federação Espanhola de que há formas de atuar que são para cumprir”, anunciou poucos minutos depois o próprio Rubiales.

Apesar dos relatos de insatisfação dentro do balneário, o dirigente garantiu que que os jogadores o receberam “muito bem” e “prometeram fazer todos os possíveis, com o novo corpo técnico, para ganhar o Mundial”. Em poucas horas, chegou o substituto, Fernando Hierro, diretor desportivo da seleção e lenda do Real Madrid. Será ele quem irá comandar a equipa durante a competição e, claro, já no primeiro jogo frente a Portugal.

Hierro é o novo selecionador espanhol

E do lado português?

Se do lado espanhol as coisas estão complicadas, o mesmo se pode dizer relativamente a Portugal. A crise do Sporting continua a alastrar-se, sendo que, dos 23 convocados, há quatro jogadores que já anunciaram as suas rescisões de contrato e estão com o futuro incerto.

Aceitando que Rui Patrício e William Carvalho serão titulares, muitas questões se levantam sobre a forma como os jogadores estão a lidar com este processo. Até porque se fala que Bruno Fernandes e Gelson Martins podem até assinar pelo Benfica, numa espécie de repetição do verão quente de 1993.

Rui Patrício é um dos jogadores sem clube na seleção

Jogadores e treinador insistem que todo o foco está na preparação do jogo. Só que os ex-jogadores do Sporting não são os únicos com um futuro incerto. Ainda há a questão de Cristiano Ronaldo por resolver.

O avançado português, que após a final da Liga dos Campeões deixou em aberto a possibilidade de sair do Real Madrid, ainda não divulgou se fica ou se troca de clube. Curiosamente, no caso do capitão de Portugal, as dúvidas chegam precisamente de Espanha.

O dérbi ibérico está marcado para esta sexta-feira, 15 de junho, em Sochi, na Rússia. Resta esperar para ver qual será a equipa que consegue sobreviver a estes dias tumultuosos – e a mais 90 minutos de luta.

Outros artigos de Bola

Últimos artigos da 4MEN