Bola

Os problemas que estão tornar a vida de Mourinho num inferno

O treinador português não está feliz no Manchester United e faz questão de o demonstrar. Faltam reforços, os craques não rendem e a direção não ajuda.

José Mourinho não é propriamente conhecido pela sua simpatia. A ocasional brincadeira com jornalistas e colegas contrasta com o ar mais sério e sisudo. Ainda assim, começa a ser difícil de disfarçar a tristeza que parece acompanhar o treinador português no Manchester United, especialmente nas últimas semanas.

Após o empate com o San Jose Earthquakes, este domingo, 2 de julho, Mourinho surgiu com um ar resignado na entrevista pós-jogo. “Não somos uma equipa, somos um conjunto de jogadores”, frisou.

Questionado esta terça-feira, 24 de julho, na conferência de antecipação à partida com o AC Milan, sobre se estava contente com o decorrer da pré-época, a conclusão foi dada pelo próprio: “Claro que não estou feliz”.

O United acabara de sofrer o segundo empate da pré-época e o plantel que o português tem nas mãos é um misto de jogadores da equipa principal com alguns jovens que foram chamados para colmatar a ausência de alguns dos craques, mas também de reforços que, por esta altura, continuam por chegar.

Na época passada foi contestado por alguns adeptos e especialmente por antigos jogadores, com o antigo médio do clube, Paul Scholes, a ser o mais recente a juntar-se à lista de críticos. Esta segunda-feira, 23 de julho, o inglês afirmou à televisão do clube que Mourinho não parecia contente e que se fosse Guardiola no lugar dele não ia gostar do que via.

Há várias razões para o treinador estar inquieto, infeliz e apático. A primeira é a má pré-época, tanto a nível de resultados como a nível de preparação dos jogadores, com dez deles ausentes devido a lesões ou ao Campeonato do Mundo.

Uma equipa de retalhos

Durante a digressão nos EUA, o Manchester United empatou dois jogos: 1-1 com os mexicanos Club América e 0-0 com os norte-americanos San Jose Earthquakes .

No plantel faltam ainda jogadores como o guarda-redes David De Gea, os médios Paul Pogba e Matic e o avançado Lukaku, uma vez que ainda estão de férias após a participação no Mundial.

“Não somos uma equipa, somos um grupo de jogadores de diferentes equipas. Alguns fazem parte da equipa principal, outros da de sub-23; há ainda quem esteja de regresso de empréstimo e outros são jovens. Não temos equipa para jogar muito melhor. É difícil não ter dez jogadores. Tentamos estar motivados e motivar quem está à nossa volta, mas não é fácil. O objetivo é dar minutos aos jogadores e uma oportunidade aos mais novos para evoluir”, desabou José Mourinho no final do segundo encontro, em declarações à televisão do clube.

Dizem que são uma espécie de reforços

Alguns rumores indicaram que o United teria tentado uma surpresa de última hora e roubar Ronaldo à Juventus. Nada disso aconteceu. Também se falou na possível chegada de Gareth Bale, entre muitos outros craques. Falou-se num orçamento de 300 milhões de euros para atacar a nova época. Todas as expectativas foram defraudadas. 

Outros artigos de Bola

Últimos artigos da 4MEN

Queremos ser seu amigo no Facebook. Pode ser?