Bola

Afinal, o Sporting está melhor ou pior desde a chegada de Bruno de Carvalho?

Esta é a pergunta a que todos os sportinguistas se preparam para responder na assembleia que pode ditar a saída do presidente do clube.

Aproxima-se um dos momentos mais críticos da vida de Bruno de Carvalho como presidente do Sporting. A assembleia geral que poderá ditar a saída ou a permanência da direção está marcada para o próximo sábado, 17 de fevereiro, depois da interrupção abrupta da reunião do passado dia 3, onde o líder do clube fez um ultimato aos sócios: caso não aprovem com maioria qualificada (75 por cento dos votos) os três pontos da ordem de trabalhos, o Conselho Diretivo sairá imediatamente.

Os pontos em discussão serão os novos estatutos do clube, o regulamento disciplinar e se os sócios querem ou não a demissão dos órgãos sociais. A maior polémica diz respeito à possibilidade de expulsão de sócios que sejam acusados de “injuriar, difamar ou ofender o Sporting, os seus órgãos sociais ou qualquer dos seus membros”. Por outro lado, está prevista a extinção do Conselho Leonino e o fim do método de Hondt para a eleição do Conselho Fiscal e Disciplinar, substituído por eleições por lista completa para todos os órgãos sociais.

Bruno de Carvalho tem explicado nos últimos dias, em conferências de imprensa ou através de longos posts no Facebook, que é “um ser humano que não aguenta mais” e pede aos “sportinguistas que ponham em ordem a casa”. A azedar ainda mais as relações internas está a lista de nomes que o próprio divulgou e onde qualifica vários adeptos de sportingados, ou seja, sportinguistas aziados. Uma lista da qual fazem parte figuras célebres do clube como os ex-presidentes Dias da Cunha e Godinho Lopes, os ex-candidatos à presidência Sérgio Abrantes Mendes e Carlos Severino, entre muitas outras figuras conhecidas do universo sportinguista e outras completamente desconhecidas do grande público.

Berrarias e feitios complicados à parte, a pergunta que muitos sportinguistas e adeptos de outros clubes fazem – e que importa ser respondida – é, afinal, se o Sporting está melhor ou pior desde que Bruno de Carvalho assumiu a gestão do clube em 2013? A 4MEN tenta responder a esta pergunta e, para isso, é preciso fazer uma comparação entre o estado atual do clube e aquele que ocupava há cinco anos.

Futebol

Quando Bruno de Carvalho chegou ao Sporting, em março de 2013, o clube estava na fase final da sua pior época de sempre no campeonato nacional. Terminou a época em sétimo lugar, no pior registo de sempre do clube.

Em 2013/14 e com um orçamento incomparavelmente inferior ao dos rivais, o Sporting foi segundo classificado com Leonardo Jardim e lutou com o futuro campeão FC Porto até março. Na época seguinte, Marco Silva não foi além do terceiro lugar, mas ganhou a Taça de Portugal. Já com Jorge Jesus, em 2015/16, o Sporting fez a sua melhor pontuação de sempre (86 pontos), mas acabou por ficar a dois pontos do campeão Benfica, tendo conquistado a Supertaça, ganhando por 1-0 ao rival da Luz. A temporada passada marcou mais um ano sem títulos, com um terceiro lugar na lista e afastamento de todas as provas em fases precoces.

Este ano, a tendência parece querer inverter-se e a equipa até já ganhou a Taça da Liga e mantém-se em todas as frentes, embora a posição no campeonato já tenha sido melhor, estando em terceiro lugar, com os mesmos pontos do segundo, Benfica e a dois pontos do líder FC Porto, que tem meio jogo por disputar, no Estoril (perde por 1-0 ao intervalo).

Outros artigos de Bola

Últimos artigos da 4MEN