Comer e beber

Almeja: o novo restaurante do Porto tem pratos de autor (e um jardim com esplanada)

João Cura, o dono e chef, trabalhou em vários restaurantes com estrela Michelin em Barcelona, em Espanha, antes de abrir o próprio espaço.

O espaço era uma antiga loja de cafés e chás.

Desejar muito, querer, sentir. Almejar é o lema para o novo restaurante do Porto, o Almeja, onde se podem provar as criações de João Cura, chef e dono do espaço que foi inaugurado em novembro.

No Almeja as cartas variam consoante as estações do ano e os produtos — na grande maioria, portugueses — que estão disponíveis. O menu de degustação Almeja (55€) tem um bolo de bacalhau com pimento assado, tomate, carapau, picles, crocante de cebola e cogumelos; um prato de alho francês com malte e alho negro; o peixe do dia à Bulhão Pato; carne maturada com couve de Bruxelas e chalotas; sobremesa de limão servido com gin tónico e limonete; e uma de chocolate, café, bolacha e especiarias.

João Cura formou-se na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, depois de uma breve passagem pelo curso de Farmácia, e trabalhou em restaurantes com estrela Michelin em Barcelona, em Espanha — o Dos Cielos, o Cinc Sentits e também o Monvinic, que não foi premiado pelo guia gastronómico.

“Queria abrir o meu restaurante e começámos [o chef e a mulher, Sofia Amaral Gomes, que é chefe de sala e sócia] a procurar espaços à distância em Portugal”, conta João Cura. “Percebemos que era difícil e tivemos mesmo de nos mudar.” Voltaram para o País há cerca de um ano e viraram-se para o Porto, depois de perceberem que Lisboa estava “saturada”. “O Porto estava a subir ao nível da restauração e do turismo.”

“Também acompanhei o crescimento da gastronomia portuguesa e foi isso que me fez voltar. Temos restaurantes muito bons, acima de muitos espanhóis. Falta-nos é quebrar mentalidades na aceitação do público.”

João Cura começou um projeto em que ia cozinhar a casa de pessoas, como chef privado, antes de encontrar o espaço no Porto onde se servem agora entradas como tostas de pés de porco e presunto (4,50€); canja de ovo e ravioli de galinha (6€), com pontas de presunto para acrescentar gordura; ou cogumelos selvagens com tupinambo e limão (6€).

Entre as opções de peixe disponíveis na carta estão o escabeche de cavala, maçã verde e pepino (14€); peixe de pesca à linha (21€), com batata doce, lardo (gordura de porco) e molho de manteiga; ou um arroz cremoso do Mondego (17€), com peixe e katsuobuchi.

Caso esteja num dia de carne, algumas das opções são cabrito com uvas, beldroegas e cereais (20€); bife tártaro com anchovas, picles e mostarda (16€); brioche de vaca com gema e cogumelos (14€); e bochechas ao vinho (15€) com brócolos e cenoura. A aposta é na qualidade de cada produto: o pão é produzido no espaço, o carapau seco vem da Nazaré, o peixe tem de vir dos Açores.

O restaurante ocupa uma antiga mercearia que vendia chás e cafés e que estava fechada há mais de 15 anos, perto da zona do Bolhão.

Carregue na imagem para saber mais sobre o Almeja.

Outros artigos de Comer e beber

Últimos artigos da 4MEN

Queremos ser seu amigo no Facebook. Pode ser?