Comer e beber

A história secreta do escravo que criou um dos whiskys mais famosos do mundo

Foi graças a ele que Jack Daniel aprendeu como se fazia um bom whisky. Mais de um século depois, o papel do escravo é honrado e eternizado numa marca própria.
Jack Daniel de chapéu branco, ao lado daquele que se supõe ser o filho de Nearis Green

Nas visitas guiadas à destilaria onde nasceu o famoso whisky Jack Daniels, a mesma história é repetida vezes sem conta: “Durante a década de 1850, quando Daniel era apenas uma criança, foi trabalhar para um pregador, merceeiro e destilador chamado Dan Call. O destilador era um homem ocupado, que viu potencial no jovem Jack e o ensinou a a fabricar o seu whisky”. 150 anos depois, a velha história teve que ser alterada. Afinal, Daniel não aprendeu a arte da destilação que deu origem à bebida com Dan Call, mas sim com o seu escravo, Nearis Green.

Nesta nova versão revista da história, o escravo que viveu na casa de Dan Call na década de 50 do século XIX é quem recebe muito dos créditos pela formação do homem que viria a criar um dos whiskys mais famosos do mundo. Green, mais conhecido pela alcunha de Uncle Nearest, é o grande protagonista da nova história revelada pela marca em 2016, data do 150.º aniversário. E a revelação assume proporções históricas: afinal, a lendária receita do whisky pode ter saído das mãos do escravo e não de Jack Daniel.

A revelação deu origem a uma nova marca, a Uncle Nearest. A primeira garrafa deste whisky foi lançada em 2017 e credita Green como o primeiro mestre destilador de Daniel. Logo no primeiro ano, recebeu uma medalha de ouro e em 2018 juntou mais três ao currículo. E no domingo, 3 de fevereiro, durante o sempre concorrido espaço de anúncios da Super Bowl, a marca lançou a sua primeira campanha, com o ator Jeffrey Wright como protagonista.

Acredita-se que o Nearest tenha sido o primeiro mestre destilador afro-americano dos EUA e também o responsável por ajudar a aperfeiçoar o Processo do Condado de Lincoln – um requisito para que a bebida pudesse ser categorizada como whisky do Tennessee.

Segundo a biografia de 1967, “Jack Daniel’s Legacy”, escrita por Ben A. Green (que não tem qualquer parentesco com Nearis), Call disse ao seu escravo para ensinar a Daniel tudo o que sabia. O livro cita Call: “Uncle Nearest é o melhor fabricante de whisky que eu conheço”.

Foi o próprio Jack Daniel a querer esclarecer tudo e a contar a história de Green. A verdade não era um segredo. Era, aliás, bem conhecida dos historiadores e dos locais há décadas, apesar de a destilaria a ter ignorado.

A escravatura terminou com a ratificação da 13ª Emenda em 1865 e Daniel abriu sua destilaria um ano depois, empregando os dois dos filhos de Green. Uma imagem tirada no final do século XIX, publicada pelo “The New York Times”, mostra Daniel ao lado dos seus funcionários. Suspeita-se que um deles seja o filho de Nearest, imediatamente à sua direita. Esta imagem já marcava uma clara diferença entre as fotos de outras destilarias, onde trabalhadores negros ficavam em pé, devidamente alinhados num plano secundário e longe da linha da frente. Agora, graças ao novo whisky Uncle Nearest 1856 Premium, a história de Nathan Nearest Green será eternizada em garrafa.

Outros artigos de Comer e beber

Últimos artigos da 4MEN