Comer e beber

Madame Bacchus, o novo espaço francês para beber vinho e comer queijo

Mais de 60 marcas para experimentar e uma seleção de queijos portugueses e franceses de levar às lágrimas. Em bom.

Amandine e Gilles são dois franceses apaixonados por vinho e Portugal.

Chama-se Baco, em latim Bacchus, e é o deus romano do vinho. O grego chama-se Dionísio. Este é o deus dos excessos e dos bacanais (que é o mesmo que dizer das orgias) regados com o chamado néctar dos deus.

É esta a inspiração principal do novo espaço Madame Bacchus, que é a concretização de um sonho para o casal francês (e parisiense) Amandine e Gilles – lisboetas há quatro anos. Ela sempre trabalhou na área dos vinhos e da restauração em França, ele é compositor e produtor musical.

Ambos estão apaixonados por Portugal há quatro anos e pelo vinho, “desde sempre”.

“Queremos, através da nossa seleção de vinhos, destacar a incrível diversidade da produção portuguesa”, explica Gilles Cardoni. O compositor de 44 anos admite que tentaram criar “um lugar aconchegante para se estar descontraído e de copo à frente, com os melhores queijos e charcutaria de França e Portugal disponíveis”.

A carta de vinhos não só é extensa como vai mudando (no caso dos vinhos a copo) todas as semanas. São oito vinhos tintos e oito brancos, com preços entre os 3€ e os 8€. No total está disponível uma seleção de cerca 60 vinhos, para que nunca perca a sensação de novidade a cada visita.

Em destaque no menu está o camembert com mel e noz (uma variedade de queijo de pasta mole, originária da região da Normandia), que custa 7€, bem como o requeijão com azeite trufado (6€). Pode ainda experimentar a tosta mista que inclui queijo raclette e bacon (7,90€), a rillette de sardinha maison (4€) ou o salsichão de touro (5,90€).

Com a chegada (tímida) do frio a Portugal, o casal francês sugere ainda a grolle, uma especialidade dos Alpes perfeita para enfrentar o tempo fresco que consiste em vinho tinto quente, café, frutas e cachaça.

Aberto desde 3 de outubro na Rua de São Mamede 30G, perto do Castelo de São Jorge, permite até 20 pessoas sentadas – fecha à segunda-feira e está aberto no resto dos dias das 12h às 23h. A seleção musical, escolhida pelo compositor da família, Gilles, depende do mood do dia em questão – vai de bossa nova a música eletrónica.

Carregue na foto para conhecer Madame Bacchus.

Outros artigos de Comer e beber

Últimos artigos da 4MEN