Comer e beber

The Darjeeling Express: o novo indiano de Lisboa com comida caseira e muito estilo

O nome veio de um filme de Wes Anderson e na ementa junta-se sugestões da Índia, Moçambique e Portugal.

Há comida indiana caseira para experimentar.

“A minha família nunca vai a um restaurante indiano em Lisboa. Achamos sempre que vamos comer pior do que em casa. Nunca é saboroso, é muito condimentado e picante.” Quem o diz é Mirza Cassamo. É português, tem pai indiano, mãe moçambicana e acabou de abrir um restaurante em Lisboa. No novo The Darjeeling Express há comida caseira indiana com muitas influências nacionais e de Moçambique e sem a habitual decoração antiquada.

Mirza Cassamo tem 35 anos, estudou economia e relações internacionais em Portugal, antes de seguir para Bruxelas onde fez um MBA em finanças em Bruxelas. Aí foi onde começou a ideia de criar o novo restaurante. “Tinha de fazer uma tese final com 25 mil palavras. Não sabia sobre o que havia de escrever ao contrário dos meus colegas nórdicos e alemães. Pensei: o que é que eu gosto? De comer e beber.”

Fez um plano de negócio sobre a abertura de um restaurante. Antes de voltar a Lisboa, esteve a trabalhar com os pais em Angola na área da construção e gestão. Aí fez um almoço para amigos que foi um grande sucesso. “Fiz duas panelas, uma com caril de vitela, outra com frango e leite de coco. Dava para 30 pessoas, mas eram apenas 20 os convidados e comeram tudo.” Os dois pratos tem agora disponíveis no novo The Darjeeling Express.

Aprendeu a cozinhar com a mãe e a tia e muitas das receitas que tem no restaurante são familiares com algum twist. “A nossa comida não é muito picante. A minha mãe não colocava que a minha irmã não gostava. Temos é picantes à parte que as pessoas podem acrescentar.”

A tia faz o picante base, depois Mirza prepara quatro variedades: verde, vermelho, achar de manga e outro com cenouras. A tia é a responsável pelo picante caseiro, já o tio cozinha as chamuças. É com elas que deve começar a refeição no The Darjeeling Express. Todos os pratos são servidos em caixas de bambu biodegradáveis. O restaurante não tem serviço de mesa, é pedir ao balcão e levar o pedido depois para a mesa — há 24 lugares disponíveis e no verão haverá uma pequena esplanada.

Depois das chamuças caseiras de frango ou vegetais (1,60€), tem os wraps em pão nan, o George Constanza, com atum, chutney de courgette com caril, pimentos, azeitonas e malagueta (6,40€) ou o Niles Crane, com queijo feta, chutney de cogumelos, alface e tomate cherry (6,40€). Nos pratos, além dos de caril que fizeram sucesso em Angola, há o de lentilhas amarelas com ovo estrelado (9,90€), o de grão de bico com ovo cozido (9,90€), ou o de lentilhas verdes com limão (8,90€).

Na ementa do The Darjeeling Express, a seguir ao nome do prato, existe sempre uma recomendação de picante e bebida feita por Mirza Cassamo. É o caso do Supersonic, com vodka, sumo de limão, xarope de açúcar e ginger beer (6,50€), do Bless You Bertina, com gin, sumo de limão, cravinho e água tónica (6,50€), das cervejas artesanais da Musa, vinho branco ou tinto.

No final tem três sobremesas que o próprio responsável tem dificuldade em escolher qual a melhor. Tem a salada de frutas com sumo de manga (2,90€), o bolo de chocolate com pimenta rosa (3,90€), e o fondant de chocolate e malagueta (3,90€).

O restaurante não é muito grande e se estiver cheio pode sempre levar para casa. Tem serviço de take away e o melhor é que as caixas podem ser levadas ao microondas. Estão também associados ao UberEATS e à Glovo para fazerem entregas de indiano caseiro ao domicílio.

“Quando vamos nos restaurantes indianos de Lisboa há sempre dois problemas: a decoração e sairmos de lá com um cheiro a fritos.” Mirza Cassamo garante que aqui não os encontra. “Procurei uma decoração meio vintage e industrial e não uso óleo, só azeite e muito pouco.”

O nome já deve ter percebido de onde veio. “O Wes Anderson é o meu realizador favorito e inspirei-me no ‘The Darjeeling Limited’, que é também uma viagem pelos sabores e cultura da Índia.” Pensou no nome, na decoração, na ementa e a música também não foi esquecida. “É uma playlist das minhas músicas preferidas. Até agora todos têm gostado.”

Carregue na foto para conhecer mais sobre o novo The Darjeeling Express.

Outros artigos de Comer e beber

Últimos artigos da 4MEN

Queremos ser seu amigo no Facebook. Pode ser?