Desporto

Os erros e as decisões acertadas dos árbitros na última jornada

A 16.ª jornada trouxe mais jogos emocionantes e casos polémicos. O ex-árbitro Pedro Henriques analisa-os um por um.

A 16.ª jornada trouxe mais reviravoltas no topo da tabela. O Sporting voltou a perder fora de casa, desta vez frente ao Tondela, e deixou-se ultrapassar novamente pelo Benfica. As dúvidas e protestos que foram surgindo ao longo do jogo obrigaram a que o árbitro estivesse atento a todos os pormenores. Será que acertou nas decisões? No dia anterior, o regresso às vitórias dos encarnados, que venceram o Rio Ave depois de estarem a perder por 2-0, trouxe também alguns casos polémicos e pedidos de penálti, que não foram atendidos.

A ronda terminou no Dragão com (mais uma) vitória do FC Porto, a 18.ª consecutiva que constitui um recorde. Registos históricos à parte, os fiscais de linha não tiveram uma tarefa fácil durante os 90 minutos, onde tiveram que validar e anular alguns lances.

Entre todos os casos e dúvidas, pedimos ao ex-árbitro Pedro Henriques para rever, um a um, os lances que geraram protestos no relvado, nos bancos e nas bancadas.

Benfica 4 – 2 Rio Ave

24′ – Ficou um penálti por marcar a favor do Benfica?

“É um remate à queima e de muito perto aquele que levou a bola a embater no braço esquerdo de Buatu, que o tinha numa posição normal ao longo do corpo e à sua frente, nunca fazendo nenhum movimento deliberado, pelo que não existe motivo para penálti.”

29′ – Os amarelos a Nadjack e João Félix foram bem mostrados?

“Cartões amarelos bem mostrados a Nadjack e a João Félix, ambos por comportamento antidesportivo: Após um desentendimento, os jogadores empurraram-se mutuamente levando o árbitro a agir disciplinarmente e a adverti-los para pôr cobro à situação.”

75′ – Ficou um penálti por marcar a favor do Rio Ave por mão de Rúben Dias?

“Lance legal e sem motivo para pontapé de penálti. Rúben Dias cabeceou inicialmente a bola, só que esta deslocou-se na vertical para o solo, ressaltando de imediato e baendo na própria mão, que lhe toca assim de forma involuntária e não deliberada, razão pela qual foi correta a decisão do árbitro de nada assinalar.”

Tondela 2 – 1 Sporting

6′ – Há fora de jogo no golo do Tondela?

“Golo legal e sem motivo para qualquer infração. No momento do passe de Xavier para Delgado, tanto Coates como Mathieu validam a posição do jogador do Tondela.”

13′ – Ficou um penálti por marcar a favor do Sporting?

“Não só não há motivo para penálti, como se aceita a decisao de advertir Diaby por simulação. É o jogador do Sporting que se deixa cair, provocando o contacto com Ricardo Alves.”

76′ – O golo do Sporting é legal?

“Montero domina a bola com o peito, mas mesmo que eventualmente a bola lhe batesse no braço, nunca haveria irregularidade pois este estava em posição natural e nunca fez movimento ou gesto deliberado no sentido de dominar ou controlar a bola.”

FC Porto 3 – 1 Nacional

39′ – Há fora de jogo no golo do Nacional?

“Quando Palocevic passa a bola para Rochéz, este tem entre ele e a linha de baliza dois adversários, razão pela qual não houve motivo para qualquer infração à lei do fora do jogo.”

47′ – Golo bem anulado ao FC Porto?

Quando Coronoa passou a bola a Soares, o colega estava adiantado em relação ao penúltimo adversário e, como tal, em posição de fora de jogo. O assistente fez um compasso de espera e só levantou a bandeirola após a bola entrar na baliza, sendo de imediato correspondido pelo apito do árbitro. Ambos seguiram o que é solicitado atualmente em termos de protocolo, para que permita, em caso de erro, a intervenção do VAR e uma eventual correção da decisão inicial.”

57′ – Há fora de jogo no golo do FC Porto?

“Golo legal e sem motivo para qualquer fora de jogo. No momento do passe de Corona, Brahimi está em posição legal porque tem dois adversários entre si e a linha de baliza.”

Outros artigos de Desporto

Últimos artigos da 4MEN