Desporto

O penálti nos descontos, o vermelho por mostrar e os casos polémicos da jornada

A 21.ª jornada teve de tudo. Goleadas históricas, golos anulados, intervenções do VAR e leis para serem analisadas pelo ex-árbitro Pedro Henriques.

No que toca aos três grandes, a jornada começou com um jogo emocionante em Moreira de Cónegos. O FC Porto cedeu mais um empate e foi preciso um final de jogo louco para chegar ao resultado final. O caso do jogo aconteceu já nos descontos, num lance entre André Pereira e Halliche que deixou muitas dúvidas. Antes, já muitos pedidos de penálti foram feitos de um e outro lado.

Chegada a vez do Benfica entrar em campo, nem a goleada histórica por 10-0 evitou uma ou outra polémica. Aos 74 minutos, pediu-se penálti por falta do estreante Florentino e ainda houve tempo para um caso complicado, devidamente explicado em baixo por Pedro Henriques. O fim de semana terminou com uma vitória do Sporting em Santa Maria da Feira, num jogo com alguns casos bizarros: o Feirense poderia ter ficado reduzido a 10 logo aos dois minutos; e poderá mesmo ter ficado um penálti por marcar a favor dos leões.

Terminada a jornada, pedimos ao ex-árbitro Pedro Henriques para analisar e explicar cada um dos casos mais polémicos da última ronda do campeonato nacional.

Moreirense 0 – 0 FC Porto

42′ – Há fora de jogo de Pepe?

“Fora de jogo corretamente assinalado ao ataque do Porto. No momento do cruzamento da bola para a área, Pepe, que acaba por cabecear a bola, estava adiantado em relação ao penúltimo adversário.”

74′ – Ficou um penálti por marcar a favor do Moreirense?

“Mais um lance típico na área em que ambos os jogadores usam os braços para conquistar o espaço, a sua posição e a bola. Na ocasião foi Arsénio com o braço esquerdo e Militão com o braço direito, colocados ao nível do peito. Nestas situações onde ambos usam os braços, os árbitros deixam seguir e nada assinalam, decisão com a qual eu concordo.” 

Outros artigos de Desporto

Últimos artigos da 4MEN