Desporto

A sapatilha rota que pode ter arruinado um contrato milionário

As Nike de Zion Williamson romperam e provocaram uma lesão no jovem mais promissor do basquetebol norte-americano. A marca está em apuros.

Tinham passado apenas 33 segundos do início do jogo entre os rivais Duke e North Carolina, quando a estrela mais promissora da modalidade se viu envolvido num lance bizarro. Zion Williamson pousou mal o pé e fez uma entorse no joelho que o obrigou a sair de campo e não voltar a entrar na partida. Até aqui, nada de muito anormal, não fosse o facto de essa lesão ter sido provocada pela sapatilha do jogador, que se rasgou completamente.

O episódio desta quarta-feira, 20 de fevereiro, tornou-se em algo nunca antes visto na NCAAB, a correspondente universitária da NBA, ou mesmo na maior liga de basquetebol do mundo. O alvo de todas as críticas tornou-se, claro, a fabricante da sapatilha: a Nike.

Foi tudo tão inusitado que até Obama, quue estava a assistir nas bancadas, ficou incrédulo no momento, uma reação partilhada nas redes sociais. Mais tarde, o antigo presidente dos EUA deixou uma mensagem na sua conta no Twitter: “Zion Williamson parece ser um jovem extraordinário assim como um jogador de basquete excecional. Desejo-lhe uma rápida recuperação”.

Considerado por muitos como um dos melhores e mais promissores jogadores de basquete universitário desde LeBron James, o nome de Williamson seria dos primeiros da lista para a passagem para a NBA já em junho. A transferência poderia chegar a valores de mais de 882 milhões de euros, de acordo com a “CNN”, e dependerá agora das condições em que Zion ficar após a lesão.

Destacado pelo seu porte atlético e pelas capacidades técnicas, o jovem de 18 anos tem sido elogiado também pelos outros craques da NBA. “Há um atleta assim em cada geração, nunca vi ninguém assim antes. Nunca vi ninguém que é esquerdino encestar com a mão direita assim e levar a bola tão longe e saltar tão alto com os dois pés.Vi pessoas a saltar alto, mas não tão alto assim”, disse Kevin Duran em entrevista à “CBS Sports”.

Patrocinadora dos Dukes, a Nike é a marca que equipa os atletas da equipa e quem, obviamente, fica mal vista no meio desta história. Numa eventual transferência para a principal liga norte americana de basquete, a marca desportiva sairia a ganhar e até estaria bem encaminhada para patrocinar diretamente o calçado de Zion. Depois deste episódio, é provável que as negociações entre as duas partes se compliquem por falta e confiança, deixando o caminho mais fácil para rivais como a Puma ou a Adidas.

A sapatilha rota que pode ter arruinado um contrato milionário
Não foi um pequeno buraco, foi um rasgão total

De acordo com o “Yahoo Sports”, a Nike já comentou o caso em comunicado: “Estamos obviamente preocupados e desejamos a Zion uma rápida recuperação. A qualidade e o desempenho dos nossos produtos são de máxima importância. Embora isto seja um caso isolado, estamos a trabalhar para identificar o problema”.

Enquanto não há respostas sobre o que aconteceu, as ações da Nike já sofreram com o episódio que rapidamente se espalhou pelas redes sociais e órgãos de comunicação de todo o mundo. De acordo com o “The Washington Post”, de quarta para quinta-feira as ações da empresa caíram 1,07%, o que equivale a cerca de um dólar por ação (0,88€).

Outros artigos de Desporto

Últimos artigos da 4MEN