Desporto

Sporting: a cronologia de uma época que acabou em tragédia

Entre vitórias e derrotas, assembleias gerais caóticas, motins no balneário e acusações trocadas entre dirigentes e capitães de equipa, aconteceu um pouco de tudo.

A imagem de Bas Dost numa marquesa a ser suturado a dois golpes profundos na cabeça correu o mundo. Dos EUA ao Japão, todos falaram do episódio chocante que aconteceu na Academia do Sporting em Alcochete, esta quarta-feira, 15 de maio. Cerca de 50 adeptos do clube invadiram o centro de estágio, destruíram o balneário, agrediram jogadores e técnicos com socos, pontapés, bastonadas, facas e até tochas. O ponta de lança e melhor marcador da equipa levou seis pontos. Jorge Jesus também não escapou a uma cabeçada.

A poucos dias de um dos jogos mais importantes da época para o clube – a final da Taça de Portugal frente ao Desportivo das Aves –, o clima parece ser insustentável. A época que começou com as ambições em alta e com o maior investimento de sempre no futebol vai terminar em tragédia. Uma tragédia dificilmente será atenuada com uma eventual vitória na partida de domingo, 20 de maio, no Jamor.

Foi uma espécie de viagem numa montanha russa pela qual passaram os adeptos do Sporting. Entre vitórias e derrotas, assembleias gerais caóticas, motins no balneário e acusações trocadas entre dirigentes e capitães de equipa, aconteceu um pouco de tudo. A 4MEN recuou até agosto e fez uma cronologia da época do Sporting. Só falta escrever o último parágrafo, mas para esse será preciso esperar pelo resultado do último e decisivo jogo dos leões. E apesar de a temporada poder terminar com dois troféus, a verdadeira tragédia já aconteceu esta quarta-feira.

6 de agosto – O maior investimento de sempre da história do clube

Foram quase 50 milhões de euros gastos numa só temporada e um valor nunca antes visto em Alvalade – na época de 2016/17, o investimento tinha ficado pelos 37 milhões. O dinheiro recebido com as saídas de alguns jogadores como Adrien SIlva, Rúben Semedo ou Paulo Oliveira foi investido em 18 novos jogadores, onde se destacam as compras de Bruno Fernandes e Acuña (quase 10 milhões cada um), Wendel (7,5), Battaglia (4,5), Doumbia (3) ou Piccini (2,7). As ambições eram altas e as expectativas dos adeptos também.

25 de janeiro – O primeiro título da época

Vitórias atrás de vitórias, exibições fulgurantes e um Bruno Fernandes a deslumbrar. A vida parecia boa para os adeptos do Sporting que, depois do sempre traumático Natal, conquistavam o primeiro título logo em janeiro. Os leões foram à Final Four da Taça da Liga onde eliminaram o FC Porto nos penáltis. Seguiu-se o Vitória de Setúbal que deu luta, mas acabou também por ser derrotado nas grandes penalidades. Uma vitória que deu finalmente um título ao Sporting que, por esta altura, continuava a bater-se em todas as competições.

17 de fevereiro – A primeira convulsão de Bruno de Carvalho

Num momento em que tudo parecia correr bem ao clube, Bruno de Carvalho tornou-se no protagonista principal da Assembleia Geral de 3 de fevereiro. Perante a contestação de alguns sócios que o acusaram de querer passar uma revisão dos estatutos e um novo regulamento disciplinar que colocaria em causa a vida democrática do clube, o presidente boicotou a reunião e abandonou a sala. Nos dias que se seguiram, deixou a ameaça: se os sócios não aprovarem todas as suas propostas e se manifestarem pela sua continuidade com pelo menos 75% dos votos, demite-se.

Quase duas semanas depois, todos os pontos avançados por Bruno de Carvalho são aprovados com mais de 85% dos votos e o presidente do Sporting sai da crise com a certeza de que os sócios estão ao seu lado.

“Hoje foi a prova que estamos com um Sporting pujante, vivo, queremos um Sporting diferente, não há volta atrás. Que fique claro que a partir de hoje não há grupos e grupinhos. Que fiquem desenganados os nossos rivais, podem pôr todos os emails que têm a ver com o Sporting, nunca seremos a vergonha que eles são”, disse.

Outros artigos de Desporto

Últimos artigos da 4MEN