Máquinas

iPhone: o carregamento sem fios pode estar a arruinar a vida da sua bateria

O site “ZDNet” fez os teses e concluiu que embora mais prático, o carregamento wireless pode mesmo reduzir a capacidade do smartphone.

A tecnologia de carregamento sem fios não é uma ferramenta propriamente nova. Chegou à Apple em 2017, aos modelos 8, 8 Plus e X e todos concordarão que é uma forma mais simples e rápida de carregar os smartphones. E tudo isto seria um bonito conto de fadas, mas ao que parece, este tipo de carregamento pode arruinar ainda mais rapidamente as baterias já de si frágeis dos telemóveis e, neste caso particular, dos iPhones.

Um teste realizado pelo site “ZDNet” concluiu que as baterias, quando carregadas em sistemas sem fios, se esgotam muito mais rapidamente do que se tivessem sido carregadas da forma mais tradicional, isto é, com fios.

Segundo a Apple, a bateria de um iPhone “está desenhada para reter até 80% da sua capacidade em 500 carregamentos completos”. Ora o autor do artigo do “ZDNet”, que esperava que a bateria do seu telemóvel atingisse 500 carregamentos num ano e meio, viu, em menos de seis meses, serem completados 135. Normalmente, as baterias atingem 80% ao fim de dois ou três anos. Com estas contas, o colaborador chegaria aos 500 em 20 meses – um ano e oito meses.

“Quando o iPhone está a ser carregado pelo cabo, o telemóvel está a ser alimentado pelo mesmo (há alguma carga para a bateria, mas é mínima), mas quando se usa o carregamento sem fios, a bateria está a alimentar o iPhone, com o carregador sem fios a ser colocado no topo da bateria. Isto significa que, ao mudar do cabo para o carregador, a minha bateria não está a descansar, fazendo com que tenha que passar por ciclos de carregamentos a uma velocidade mais rápida”, explica o autor do teste Adrian Kingsley-Hughes.

Outros artigos de Máquinas

Últimos artigos da 4MEN

Queremos ser seu amigo no Facebook. Pode ser?