Máquinas

Os serviços de inteligência americanos pedem que não use smartphones chineses

Huawei e ZTE são as duas marcas visadas pela CIA e pelo FBI.

A Huawei e a ZTE estão sob vigilância atenta dos serviços de inteligência norte-americanos. Os responsáveis do FBI, CIA e da NSA pediram esta terça-feira, 13 de fevereiro, que os norte-americanos evitem usar equipamentos das marcas chinesas.

Segundo a CNBC, o diretor do FBI Chris Wray, alertou para o facto de estas empresas de telecomunicações chinesas poderem exercer “pressão ou controlo” na rede de infraestruturas norte-americana.

“Estamos bastante preocupados com os riscos de permitir qualquer empresa ou entidade estrangeira que não partilhe os nossos valores, para ganhar posições de poder dentro das nossas redes de telecomunicações”, declarou o responsável máximo pelo FBI perante o Senado.

Chris Wray falou ainda da possibilidade da Huawei e da ZTE “ganharem a capacidade de fazer alterações prejudiciais ou de roubar informação, podendo levar à espionagem”. Estas afirmações prendem-se também com o facto da marca ter sido fundada por um engenheiro do Exército de Libertação Popular da China.

Num comunicado, a Huawei respondeu, dizendo que “é respeitada pelos Governos e clientes em mais de 170 países em todo o mundo e não coloca mais riscos à cibersegurança do que qualquer vendedor de informação e tecnologias de comunicação”. A marca chinesa é hoje a segunda maior fabricante de telemóveis do mundo, atrás da Samsung e à frente da Apple.

A Huawei tem tido algumas dificuldades em estabelecer-se no mercado norte-americano, depois de ter visto o acordo com a AT&T para a venda no novo Mate 10 Pro ser cancelado, alegadamente devido a pressões políticas. Na altura, Richadr Yu, o CEO da empresa acusou os operadores americanos de limitar a capacidade de escolha dos consumidores.

Outros artigos de Máquinas

Últimos artigos da 4MEN